Anacom divulga, e televisão de Portugal cresce anualmente acima da média nos últimos cinco anos

A Anacom, Autoridade Nacional de Comunicações de Portugal, divulgou os números da televisão de portuguesa no ano de 2015, onde o serviço de clientes de televisão paga aumentou para 3,52 milhões, mais 167 mil do que no ano anterior (2014), o que se traduz num aumento de 5%, acima da média dos últimos cinco anos (4,6%), de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira, 9, pela Anacom.

 

O crescimento deste segmento é explicado pelo regulador pelo aumento das ofertas em pacote e das ofertas suportadas em fibra óptica, que têm estado no centro do investimento das operadoras. No final de 2015, 23,1% do total dos subscritores tinham acesso a este serviço através desta tecnologia a segunda forma de acesso mais importante.

 

O cabo continua a ser a principal forma de acesso ao serviço de televisão paga, apesar de ter diminuído 1,4% no ano de 2015. Já as ofertas em pacote representaram 87,8% do total de assinaturas deste serviço. A operadora “Nos” continua a ter o maior número de clientes de televisão paga com uma quota de 43,8%, um valor que compara com os 44% registados em 2014. No final de 2015 a Meo, comprada pela Altice em junho de 2015, tinha 40,7% (menos 1,5 pontos percentuais) a Vodafone 10,2% e a Cabovisão 5,1% (menos 1,1 pontos percentuais).

 

Durante o período em análise a Vodafone foi o único prestador a aumentar a sua quota de assinantes, com uma subida de 2,7 pontos percentuais, “sendo também o prestador que, em termos líquidos, mais assinantes captou em 2015”, detalha a Anacom liderada por Fátima Barros. Vale lembrar que no ano de 2015, foram lançados em Portugal alguns dos mais importantes serviços “over-the-top”, como foi o caso do Netflix em outubro. Este serviço foi integrado em algumas ofertas em pacote. Antes disso, em setembro, a “Nos” lançou o Nplay.

 

O total de receitas anuais proveniente do serviço de televisão paga, incluindo as ofertas convergentes totalizou 1.662 milhões de euros (7.061 milhões de reais), um aumento de 23,2%. Deste valor, 205 milhões de euros (871 milhões de reais) provinham de ofertas de TV paga individualizadas, 112 milhões de euros (476 milhões de reais) correspondiam das ofertas double play (televisão e telefone) e 1.345 milhões de euros (5.714 milhões de reais) tinham como origem “oferta triple” (televisão, telefone e internet), ou quadruple (mais telefone) e quíntuplo, com play (mais internet móvel). A receita média mensal dos pacotes que englobam o serviço de TV por subscrição foi de 41 euros (174 reais) em 2015, em uma variação anual de 17,2% de 2014 para o ano passado.