Canais portugueses abertos RTP, SIC e TVI se juntam contra operadora MEO

Os canais portugueses generalistas de TV aberta RTP, SIC e TVI se juntaram contra o grupo europeu de telecomunicações Altice com uma carta enviada à Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) pedindo a intervenção do órgão em relação a inteção da operadora de TV por assinatura MEO (controlada pela Altice) de deixar de pagar pela transmissão dos canais.

Ao jornal português Correio da Manhã o presidente da ERC Carlos Magno confirmou o recebimento da carta assinada pelos três presidentes, mas não comentou o teor do documento. De acordo com o jornal, as empresas poderão deixar de receber quase €6 milhões caso a operadora deixe de pagar pelos serviços após o término dos contratos vigentes, que se encerram no fim deste ano e começo de 2016.

O modelo de negócios usado pelas empresas é baseado numa troca de pagamentos, onde a MEO paga aos produtores pelo conteúdo e estes pagam uma taxa significantemente menor para transmissão dos seus canais, além dos acordos de publicidade. A operadora quer deixar de pagar pelos conteúdos e continuar recebendo, ou que as ambas obrigações sejam anuladas, porém para as emissoras o pagamento pela transmissão dos canais é uma receita considerável.

Canais portugueses abertos RTP, SIC e TVI se juntam contra operadora MEO

Os canais portugueses generalistas de TV aberta RTP, SIC e TVI se juntaram contra o grupo europeu de telecomunicações Altice com uma carta enviada à Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) pedindo a intervenção do órgão em relação a inteção da operadora de TV por assinatura MEO (controlada pela Altice) de deixar de pagar pela transmissão dos canais.

Ao jornal português Correio da Manhã o presidente da ERC Carlos Magno confirmou o recebimento da carta assinada pelos três presidentes, mas não comentou o teor do documento. De acordo com o jornal, as empresas poderão deixar de receber quase €6 milhões caso a operadora deixe de pagar pelos serviços após o término dos contratos vigentes, que se encerram no fim deste ano e começo de 2016.

O modelo de negócios usado pelas empresas é baseado numa troca de pagamentos, onde a MEO paga aos produtores pelo conteúdo e estes pagam uma taxa significantemente menor para transmissão dos seus canais, além dos acordos de publicidade. A operadora quer deixar de pagar pelos conteúdos e continuar recebendo, ou que as ambas obrigações sejam anuladas, porém para as emissoras o pagamento pela transmissão dos canais é uma receita considerável.