Radiodifusores querem STB mais simples para TDT

 

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) considera que o Gired, responsável pelo desligamento da TV analógica no Brasil, deve distribuir set-top-boxes (STBs) zapper às famílias beneficiárias de programas sociais. Na cidade de Rio Verde (Goiás), a primeira no cronograma de desligamento, os beneficiários do programa social Bolsa Família receberam conversores com Ginga.

 

“O conversor de Rio Verde é super turbinado. Não precisamos disso”, afirmou Luis Roberto Antonik, diretor geral da Abert, em declarações publicadas pelo site Telesíntese.

 

Conversores diferentes são distribuídos para os beneficiários do Bolsa Família e do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).  Em Rio Verde, os STBs para as pessoas que fazem parte do CadÚnico tiveram uma configuração menos robusta.

 

Porém, o objetivo seria unificar os equipamentos oferecidos para estes dois segmentos, que incluem famílias de baixa renda. O conselheiro da Anatel, Rodrigo Zerbone, que preside o Gired, admite que ainda acontecem as discussões para se definir um único conversor a ser distribuído pela EAD (Entidade Administradora da Digitalização), empresa criada para distribuir e instalar os conversores.

 

A próxima etapa do cronograma continua em Brasília e nos municípios do entorno do Distrito Federal (DF). O apagão analógico em Brasília está marcado para 26 de outubro próximo. No passado fim de semana, alunos do Senai (O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), um dos cinco maiores complexos de educação profissional da América Latina, percorreram regiões da capital do país para ajudar a instalar os STBs para TDT.  Cerca de 370 mil conversores serão distribuídos gratuitamente a famílias de baixa renda do DF e das nove cidades do Entorno.