Televisão de Moçambique inicia nova programação em diferentes idiomas africanos

A rede pública TVM (Televisão de Moçambique) vai lançar a partir da próxima sexta-feira (30) novos programas e noticiários em gitonga e xitswa, línguas mais faladas da província Inhambane. Em breve serão incorporadas na grade de programação local as línguas xope e ndau, também utilizadas na mesma região.

Segundo Silvestre Macuvele, o responsável da TVM pela província, a estação pública terá transmissão nessas línguas diariamente a partir das 15h, e a iniciativa surgiu a partir de um pedido da própria população que não é falante de português. A emissora formou uma nova equipe jovem e criativa para não apenas traduzir noticiários e programas, como produzir conteúdos específicos.

As quatro línguas também são encontradas em outras províncias e distritos de Moçambique, e a introdução destes idiomas locais nos programas televisivos vai permitir a expansão da informação para a maioria dos moçambicanos. “Os falantes e ouvintes destas línguas terão a oportunidade de participar ativamente no debate de ideias visando a consolidação da unidade nacional, aprofundamento da democracia, defesa da independência nacional e preservação da paz”, afirmou Macuvele.

Televisão de Moçambique inicia nova programação em diferentes idiomas africanos

A rede pública TVM (Televisão de Moçambique) vai lançar a partir da próxima sexta-feira (30) novos programas e noticiários em gitonga e xitswa, línguas mais faladas da província Inhambane. Em breve serão incorporadas na grade de programação local as línguas xope e ndau, também utilizadas na mesma região.

Segundo Silvestre Macuvele, o responsável da TVM pela província, a estação pública terá transmissão nessas línguas diariamente a partir das 15h, e a iniciativa surgiu a partir de um pedido da própria população que não é falante de português. A emissora formou uma nova equipe jovem e criativa para não apenas traduzir noticiários e programas, como produzir conteúdos específicos.

As quatro línguas também são encontradas em outras províncias e distritos de Moçambique, e a introdução destes idiomas locais nos programas televisivos vai permitir a expansão da informação para a maioria dos moçambicanos. “Os falantes e ouvintes destas línguas terão a oportunidade de participar ativamente no debate de ideias visando a consolidação da unidade nacional, aprofundamento da democracia, defesa da independência nacional e preservação da paz”, afirmou Macuvele.