Claro do Brasil tem crescimento na base de assinantes e no prejuízo líquido no terceiro semestre

O grupo Claro (incorpora operadoras Claro, Net e Embratel e pertence ao grupo América Móvil) registrou um crescimento na base de assinantes de TV no balanço do terceiro semestre deste ano, ao mesmo tempo que também aumentou seu prejuízo líquido geral.

A América Móvil divulgou seu primeiro prejuízo em 14 anos, graças a forte desvalorização das moedas da América Latina frente ao dólar. O Brasil é o segundo maior mercado da empresa, cujos dados afirmam que o real caiu 15% frente ao trimestre anterior. Na Claro, o prejuízo líquido total foi de R$ 1,14 bilhão, frente a R$ 936 milhões no mesmo período do ano passado e a soma dos 9 meses mostra um aumento de 970% no prejuízo total, que passou de R$ 301 milhões para R$ 3,22 bilhões.

Segundo balanço da América Móvil, o grupo teve 8,1% de aumento na base de assinantes de TV em comparação ao ano anterior. A receita líquida teve aumento de 4,4% em relação ao 3T 2014, totalizando R$ 8,41 bilhões e o Ebitda (fluxo de caixa) cresceu 12,9% e fechou o trimestre em R$ 2,51 bilhões.

Claro do Brasil tem crescimento na base de assinantes e no prejuízo líquido no terceiro semestre

O grupo Claro (incorpora operadoras Claro, Net e Embratel e pertence ao grupo América Móvil) registrou um crescimento na base de assinantes de TV no balanço do terceiro semestre deste ano, ao mesmo tempo que também aumentou seu prejuízo líquido geral.

A América Móvil divulgou seu primeiro prejuízo em 14 anos, graças a forte desvalorização das moedas da América Latina frente ao dólar. O Brasil é o segundo maior mercado da empresa, cujos dados afirmam que o real caiu 15% frente ao trimestre anterior. Na Claro, o prejuízo líquido total foi de R$ 1,14 bilhão, frente a R$ 936 milhões no mesmo período do ano passado e a soma dos 9 meses mostra um aumento de 970% no prejuízo total, que passou de R$ 301 milhões para R$ 3,22 bilhões.

Segundo balanço da América Móvil, o grupo teve 8,1% de aumento na base de assinantes de TV em comparação ao ano anterior. A receita líquida teve aumento de 4,4% em relação ao 3T 2014, totalizando R$ 8,41 bilhões e o Ebitda (fluxo de caixa) cresceu 12,9% e fechou o trimestre em R$ 2,51 bilhões.