Ministério das Comunicações e Anatel do Brasil farão mudanças para reorganizar switch-off analógico no país

Com o atraso no cronograma do desligamento analógico e o impasse entre emissoras de TV e as teles móveis, o Ministério das Comunicações e a Agência Nacional de Comunicações (Anatel) farão algumas mudanças no esquema atual de migração para TV digital a fim de agilizar o processo. O switch-off marcado para 29 de novembro em Rio Verde (GO) já foi adiado em 60 dias na última semana, e a maioria dos municípios não está pronta para a migração.

O Ministério das Comunicações divulgará uma Portaria ainda em novembro e visto que o desligamento foi adiado, a data prevista servirá como ponto de partida para uma campanha mais imponente com os telespectadores e talvez melhorar o número de casas prontas, cujo total será divulgado em pesquisa a ser analisada até o final do mês. Os principais pontos considerados até agora é o impasse entre emissoras e teles, principalmente sobre a faixa 700 MHz, cujas teles fizeram a compra e exigem a liberação, e evitar a desigualdade regional, já que apenas cidades do Sul e Sudeste estariam prontas para o desligamento (a maioria inclusive já tem TDT).

A proposta da Anatel, ainda a ser revisada por governo e demais órgãos, é de realizar o desligamento analógico nas capitais e regiões metropolitanas em 2018 bem como cidades em que é necessário o desligamento para liberar a faixa de 700 MHz, e o restante ser desligado somente em 2023. Também serão revisadas as questões da distribuição de conversores e do critério de cálculo dos domicílios aptos, que poderia passar a incluir as casas que tem sinal de TV paga ou satélite.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page