Uncategorized

Associações defendem migração de sinais via satélite para banda Ku

46views

Na Consulta Pública Nº 9 promovida pela Anatel para discutir o edital de leilão das faixas de espectro que serão destinadas ao 5G no Brasil, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel) e a Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET) formalizaram o entendimento conjunto de que a migração das transmissões via satélite para a Banda Ku é a política mais adequada, conveniente e eficiente, liberando a faixa de 3,5GHz para o conexão de nova geração.

Na consulta pública, as associações se dizem preocupadas com a potencial interferência prejudicial do 5G na recepção do sinal de TV aberta via satélite, o qual consideram um serviço essencial, livre e gratuito, que leva informação, esporte e entretenimento para a população. Apesar da existência de estudos técnicos para garantir a convivência entre as transmissões televisivas e o 5G, as entidades afirmam que ainda não há demonstração de viabilidade do sistema. Por tais motivos, as associações entendem que a migração dos sinais da Banda C para a Banda Ku seja a melhor solução.

“É inegável a relevância dos serviços de satélite que, há mais de 30 anos, fornecem a transmissão de sons e imagens, sendo uma parte essencial de cadeias de distribuição de conteúdo para emissoras comerciais e públicas. Para parte significativa da população, trata-se da única fonte de informação, cultura e entretenimento, o que demanda a adoção de uma solução efetiva voltada ao bem-estar social do cidadão, além de tecnicamente eficiente, perene e alinhada às dinâmicas e tendências mundiais de utilização do espectro”, dizem as associações.