TV PAGA

BabyFirst TV terá distribuição em OTTs, soluções IPTV e todas as ramificações do VOD no Brasil

30views

O Grupo Stenna anunciou que está trazendo ao Brasil o BabyFirst TV a partir de outubro, um dos maiores canais de TV por assinatura dedicado a crianças em fase pré-escolar do mundo. A Stenna Media fará a representação comercial do canal para operadores que queiram distribuir o canal para seus assinantes.  O BabyFirst TV já está disponível no Brasil na plataforma de streaming Roku, lançada no país neste ano. Além disso, o canal também pode ser contratado como canal linear.

“Estamos preparados para fazer uma entrega nível multiplataforma que não se limitará à distribuição linear, via operadores de TV e ISPs, mais que vai muito além do tradicional. Faremos a entrega de um conteúdo exclusivo da marca BabyFirst para plataformas OTT, soluções IPTV e todas as ramificações do VOD”, diz Carolina Vargas, CEO da Stenna. Vargas afirma também que o BabyFirst irá se rentabilizar também com publicidade dentro e fora do canal que, por meio de uma curadoria especializada, selecionará as oportunidades que correspondem com seus valores e missão.

“O intuito entre a parceria da Stenna e BabyFirst TV é aumentar de forma exponencial a expansão da oferta de conteúdo do canal para todas as plataformas e operadores do Brasil. Dessa forma, vamos assegurar que essa rica programação focada em animação infantil para crianças em idade pré-escolar possa percorrer toda a escala do digital e o linear, criando uma sinergia de complementação e trazendo muito aprendizado para as famílias brasileiras”, completa.

Em relação à publicidade, campanhas desenvolvidas para o público brasileiro estão nos planos dos canal. Segundo Said Schwarz, Diretor Geral do BabyFirst, “uma vez que estamos tratando de uma programação infantil, os formatos de publicidade serão pensados exclusivamente para atingir as mães que acompanham seus filhos. Globalmente, o canal tem um alto índice de co-viewers devido à alta interatividade da programação. As oportunidades não se limitarão à estrutura dos anúncios nos ‘breaks’ e percorrerão também para o desdobramento de negócios no mercado de licenciamento varejista e branded content”.